Anterior

Saiba como justificar a ausência nas urnas nas Eleições 2020

16/11/2020

Anterior

Próxima

Homem é pego com drogas no Jardim Toledo, em Votorantim

17/11/2020

Próxima
17/11/2020 - 10:41
Você já parou para pensar em quantas invenções patenteadas existem no mundo?
 Foto: Por Pixabay  

O zíper é uma invenção patenteada

 

.

Uma dificuldade enfrentada no dia a dia pode resultar em uma solução inovadora. A resolução de um problema pode ser dar através de um novo objeto, uma fórmula, uma nova concepção. Ainda há as invenções que resultam em avanços tecnológicos.

Para proteger os direitos de criação dessas invenções, existem as Patentes de Invenção (PI), que garantem ao seu titular a exclusividade ao explorar comercialmente a sua criação, através de uma concessão pública, conferida pelo estado.

A Organização Mundial da Propriedade Intelectual (OMPI ou WIPO em inglês), possui uma base de dados que foi destrinchada pela Betway, um site de cassino online, que fez um detalhamento dos países que mais registraram patentes  ainda vigentes.

No relatório de 2018, que é realizado de dois em dois anos, em primeiro lugar, estão os Estados Unidos, com 3.063.494 invenções patenteadas. No top 10 do ranking da Betway, vem na sequência: China, com 2.366,314, Japão, com 2.054.276, Coréia do Sul, com 1.001.163, Alemanha, com 703.606, França com 602.084, Reino Unido, com 572.063, Itália, com 306.768, Rússia, com 256.419, e Suíca, com 244.581.

Já o Brasil, aparece na 34ª posição do mundo. Em 2018 foram registradas 31.977 patentes, uma distância de 212.604 até o décimo colocado, no caso a Suíça.

No Brasil, a primeira patente ocorreu em 1822, pedida por Luiz Louvain e Simão Clothe, que solicitaram exclusividade por cinco anos para utilizar uma máquina de descascar café que o fazia sem quebrar os grãos, utilizando como base o alvará de 1809. A informação consta no livro “Propriedade Industrial no Brasil – 50 Anos de História”, da Associação Brasileira dos Agentes da Propriedade Industrial (Abapi).

A demora na concessão das patentes pode ser um dos fatores que afaste o Brasil do Top 10, já que prazo médio para concessão das patentes é de dez anos. Só para fazer um comparativo, nos países da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), tais como México e Polônia, a demora é de três anos, e na União Europeia é de dois anos ou menos.

A Betway destaca ainda em sua pesquisa, invenções criadas por mulheres. Em 1809, nos Estados Unidos, pela primeira vez uma patente foi concedida a uma mulher. Mary Dixon Kies, de Connecticut, inventou um processo para tecer palha com seda ou linha.

Já em 1938, Hedy Lamarr, da Áustria criou a comunicação sem fio, a precursora do Wi-Fi, Bluetooth e o GPS. Em 1940, Lisa Meitner, também austríaca, patenteou a divisão de átomos. Ela descobriu que a divisão dos núcleos atômicos durante uma fissão liberava grandes quantidades de energia.

Invenções geniais, sendo elas funcionais ou estéticas, estão por todo o canto. Seria impossível termos alcançado o desenvolvimento atual sem essas invenções. Nossas vidas estão recheadas delas.

Desde o zíper, patenteado na Suíça, até a energia elétrica, que consta como invenção Russa. Não se esquecendo da televisão, original do Reino Unido, o automóvel, medicamentos, e uma que se você está lendo este artigo, é porque não imagina mais sua vida sem ela: a internet.


 

 










Deixe seu comentário



Newsletter
Cadastre seu email e receba nossos informativos e promoções de nossos parceiros.