Anterior

Anúncio Agerv

28/06/2020

Anterior

Próxima

Heber Martins é aprovado para presidir a AGERV

28/06/2020

Próxima
28/06/2020 - 20:41
Pastor Antônio Carlos fala dos desafios à frente da Secretaria de Meio Ambiente
 Foto: Jorge Silva/Arquivo 

Antônio Carlos Domingues da Cruz

.

.

Aldo Fogaça

 

Titular da Secretaria de Meio Ambiente (Sema) desde o dia 16 de junho, o pastor Antônio Carlos Domingues da Cruz afirmou nesta semana à Gazeta de Votorantim que a Covid-19 pode comprometer a realização de algumas ações nos próximos seis meses, afinal “a Secretaria não cuida simplesmente de poda de árvore e manutenção de praças públicas. Ela é muito mais do que isso, pois a ela precisa fazer com que o aspecto ambiental de Votorantim seja de uma cidade ecologicamente correta. Uma cidade que tem tratamento de esgoto, tratamento de água, zela pela fauna, pela flora, pela reciclagem, pelo controle da poluição do ar e sonora, cuida do aterro sanitário e de inertes e da educação ambiental de toda a população”.


Educação ambiental

Um dos trabalhos comprometidos é a continuidade das ações de educação ambiental em parceria com os escoteiros e as escolas da cidade em razão do isolamento social. “Estamos esperando essa fase passar para retomar esse trabalho, assim como as reuniões do Conselho Municipal de Meio Ambiente (Condema), que também estão suspensas”.


Aterro sanitário e reciclagem

Antônio Carlos também tem planos para manter a vida útil do aterro sanitário de Votorantim. “Votorantim possui o licenciamento ambiental do aterro sanitário e também incentiva a cooperativa de reciclagem, que ajuda a aumentar a vida útil do aterro”.

Na última quarta-feira, dia 24, o secretário se apresentou aos coordenadores e colaboradores da Coopervot onde reafirmou a importância da cooperativa de reciclagem, “pois além de prover um meio sustentável financeiro aos cooperados, é amiga do meio ambiente por não deixar matérias-primas sólidas inservíveis, plásticos, vidros, entre outros, que são nocivos à saúde pública, contaminar o solo, uma vez que a decomposição chega a ultrapassar mais de cem anos, contaminando o solo e espelhos receptores de agua, ar e também trazendo  grande prejuízo na fauna e flora. A reciclagem aumenta a vida útil do aterro aanitário municipal, trazendo economia aos cofres públicos, gerando emprego social”, disse Antônio Carlos.

A concentração de estudantes e seu pais sobre a importância da reciclagem é considerada fator decisivo para se ter uma cidade ecologicamente correta, segundo o secretário.

O secretário enfatizou que Votorantim, assim como outras cidades, ainda tem o desafio de controlar o descarte irregular de entulhos, como sobra de material de construção, sofá, colchões e outros inservíveis, por parte da população, que traz muitos problemas à comunidade e prejuízos ao meio ambiente. “Temos um grande trabalho de conscientização pela frente nessa questão”.


Parques

A manutenção dos parques está na agenda de Antônio Carlos. “Temos o Parque do Matão, Parque das Águas, Parque dos Quatis, e o Parque da Cachoeira da Chave. Quantos aos recursos disponíveis, embora o orçamento esteja apertado, vamos conseguir fechar o ano realizando o nosso trabalho. Votorantim é uma cidade muito boa para se viver e podemos contribuir para que ela fique cada vez melhor para as gerações futuras”, disse o secretário.


Os três anos na Agerv

Antes de assumir a Sema, Antonio Carlos presidiu a Agerv (Agência Reguladora dos Serviços Delegados do Município de Votorantim) por três anos. “Em janeiro de 2017, quando o prefeito Fernando de Oliveira Souza assumiu o mandato, ele me nomeou como secretário de Serviços Públicos (Sesp) e trabalhei na Secretaria até junho, quando o prefeito me solicitou que assumisse a Agerv, pois eu possuo conhecimento técnico na área, adquirido no tempo que trabalhei no Saae por mais de 20 anos, com experiência tanto na área administrativa como a operacional”.

Como há uma concessão dos serviços de água e esgoto à Águas de Votorantim, a Agência se tornou uma fiscalizadora da concessionária, tanto na questão de regulação das tarifas, quanto também a qualidade dos serviços que a concessionária presta ao município, tanto na questão operacional como na parte administrativa.

“Quando cheguei na Agerv, a primeira coisa que percebemos é que o espaço físico da Agência era inadequado e o valor do aluguel estava um ‘pouquinho salgado’ e decidimos procurar um local mais apropriado a um custo aceitável e assim mudamos a sede para a rua Paula Ney, onde está atualmente”.

Outra conquista foi a respeito da tarifa. “Havia a tarifa social, porém beneficiava somente os inscritos no programa Bolsa Família. Por meio de uma Resolução ampliamos o benefício, contemplando mais gente, a partir do momento que levamos a tarifa social para o Cadastro Único e mais pessoas passaram a ter direito a tarifa social desde que o consumo não ultrapasse os 10 metros cúbicos”.

Outro problema que Antônio Carlos teve que administrar foi o elevado número de reclamações que encontrou quando assumiu a Agerv. “A Águas de Votorantim presta um excelente serviço ao município de Votorantim, mas havia muitas reclamações, e percebemos que a maioria dos registros não eram reais. Mesmo assim, muita gente reclamava do governo, da Águas de Votorantim e da Agerv. Então, foi um trabalho para desmistificar essa relação e diminuir o número de reclamações a partir da fiscalização dos serviços e intermediação para a solução dos eventuais problemas”. 

Outro problema que Antônio Carlos encontrou na Agerv: “Toda vez que a concessionária ia fazer um reparo no Centro, a Secretaria de Trânsito não era avisada, e nem os comerciantes, não avisava ninguém. Isso causava o grande problema no trânsito e complicava a rotina da cidade. Nós resolvemos isso, a comunicação melhorou, a concessionária passou a notificar oficialmente a todos sobre a necessidade dos reparos e a vida de todos melhorou. A exceção ficou para os serviços emergenciais.

Uma grande dificuldade foi a comunicação com a comunidade. “Muita gente não conhece a Agerv e os serviços que ela oferece ao município. Mas, por uma restrição legal do Tribunal de Contas, o gasto com a comunicação é limitado. O importante é que a Agência defende o consumidor dos serviços da Água de Votorantim”, disse.

Vale lembrar que a Agerv tem a sua administração financeira e jurídica totalmente independente da Prefeitura.

Antônio Carlos é formado em Gestão Ambiental e Gestão Pública, com pós-graduado em Assistência Social. Está fazendo a segunda pós-graduação em Gestão Ambiental. É técnico ambiental, técnico em transação imobiliária, e bacharel em Teologia. Já dedicou a várias atividades sociais em Votorantim e é pastor voluntário há mais de 30 anos.





Reportagem publicada na página 5, da edição 370, da Gazeta de Votorantim, de 27 de junho a 3 de julho de 2020. 










Deixe seu comentário



Newsletter
Cadastre seu email e receba nossos informativos e promoções de nossos parceiros.