Anterior

Coluna Jogadores famosos que deixaram saudades. - Canhoteiro (Por Jesus Rodrigues)

17/05/2020

Anterior

Próxima

Coluna Recordações Edição 364 - Prof. Jesus Rodrigues

17/05/2020

Próxima
17/05/2020 - 19:11
Histórias da minha cidade - O futebol do passado e a parte esportiva do CAV
 Foto: Arquivo do pesquisador Cesar Silva 

CAV foi campeão da Copa Emancipação em 1968

.

.

Cesar Silva


queles que no passado jogaram pelos times de futebol da cidade sempre vão argumentar que antes tudo era mais envolvente. Os dérbis, a rivalidade dos bairros, o comprometimento com a preparação física dos jogadores. Época que não existia a figura do jogador “estrangeiro” que é aquele importado de outro município para reforçar o elenco. Eram priorizados os “pratas da casa” que jogavam por identificação com o time do bairro, na base do amor ou por gostar de alguma agremiação.

No passado o futebol se tornou um agregador de público por que vivia os ares de um distrito industrial e depois de uma cidade em formação, onde a maioria trabalhava para uma das fábricas do grupo Votorantim, frequentava os mesmos lugares, como igreja, clube e festividades, já os domingos concentrava jogadores e torcedores para assistir aos dérbis no campo do Clube Atlético Votorantim.

Por mais que na atualidade os dirigentes e jogadores se esforcem para garantir um bom espetáculo aos torcedores, imagine que no passado a disciplina era um quesito levado em consideração para garantir uma vaga na equipe. Se alguém fosse visto permanecendo até mais tarde numa festa ou mesmo na rua, logo falavam para o treinador e o jogador já sabia que não seria escalado na partida do final de semana.

A sede esportiva do Clube Atlético Votorantim foi a grande referência para muitos apaixonados pelo futebol. Quem não brincou nas piscinas que tinham como guardião Humberto Massa, a quadra poliesportiva que era o plano B quando o campo já estava sendo utilizado, a cancha de bocha cuidada pelo Caméia. Na entrada do local, a imponência da estátua do Savoião. Outra referência eram os eucaliptos que adornavam uma das laterais do campo. Ajudava a fazer sombra e proteger para que a bola não caísse nas águas do rio Sorocaba.

As reformas ocorridas no final dos anos 90 cedeu parte do espaço para o surgimento da avenida Newton Vieira Soares e a construção do Terminal de Ônibus. 

O local gerava fascínio em jogadores e torcedores, uma referência à prática do esporte. Ali e outros espaços na cidade estimularam no passado aquele futebol que encantou a todos com uma grande quantidade de jovens talentos. 


Cesar Silva nasceu em Votorantim, é jornalista servidor municipal e autor de três livros sobre a história local

 

 

Coluna publicada na página 13, da edição nº 364 da Gazeta de Votorantim, de 16 a 22 de maio de 2020



Veja mais fotos:








Deixe seu comentário



Newsletter
Cadastre seu email e receba nossos informativos e promoções de nossos parceiros.