Anterior

Edis na lida Edição nº344

02/12/2019

Anterior

Próxima

Edição n° 344 de 30 de novembro a 06 de dezembro de 2019

02/12/2019

Próxima
02/12/2019 - 13:17
Caminhão dos Bombeiros que se acidentou em Votorantim é do mesmo modelo que vitimou um soldado em Osasco
 Foto: Jorge Silva 

Caminhão ficou sem freio e condutor optou por desviar dos veículos que estavam parados no semáforo

Valdinei Queiroz


O caminhão do Corpo de Bombeiros, que nesta semana bateu no muro de uma autoescola de Votorantim, é do mesmo modelo que vitimou um bombeiro de Osasco em 2012, segundo informações obtidas pela reportagem da Gazeta de Votorantim. Trata-se do modelo IMP Pierce, modelo Americano, ano 1992, que, segundo apurado pela reportagem, não deveria ser mais utilizado, pois apresentava problemas, inclusive no sistema de freio, cuja manutenção não era mais viável.

Os dois acidentes se assemelham. No de Osasco, o condutor perdeu o controle do veículo quando sinalizou falhas no freio, batendo contra o muro de uma residência. Nesse caso, o bombeiro faleceu e outros quatros militares tiveram lesões leves. No de Votorantim, que ocorreu na última segunda-feira (25), o motorista percebeu que perderia o controle do caminhão e optou por cruzar o canteiro central, invadir a pista contrária, vindo a colidir com um muro, na avenida Luiz do Patrocino Fernandes, na Vila Dominguinho. No trajeto, ele arrastou um coqueiro e derrubou um poste de iluminação. Segundo testemunhas, o caminhão seguia sentido Centro, e caso o condutor não fizesse a manobra, bateria em vários veículos que aguardavam a abertura do semáforo localizado próximo a linha férrea. “Nesse caso, a tragédia seria inevitável, uma vez que envolveria muitas outras pessoas”, comentou o comerciante Dirceu Santos Correia, que presenciou o acidente. “Esse motorista foi um herói, pois ele arriscou a vida dele para salvar as de outras pessoas”, prosseguiu. O motorista, Ailton Alves de Araújo, de 50 anos, foi socorrido pelo resgate do Corpo de Bombeiros e levado ao Conjunto Hospitalar de Sorocaba (CHS) com ferimentos leves. Já outro militar que ocupava a cabine não precisou de socorro médico e teve seu nome identificado no boletim de ocorrência como soldado Martins.

O caminhão e os bombeiros envolvidos no acidente eram de Sorocaba e estavam em Votorantim para atender uma ocorrência com um animal, visto que o município não conta com guarnição e veículos suficientes para atender a própria demanda. 

De acordo com informações obtidas da nossa reportagem, o caminhão acidentado apresentava falhas no sistema de freio há muito tempo, tento sido, inclusive, reprovado pelos funcionários do posto de Votorantim, mas acabou sendo destinado para a unidade Santa Rosália, de Sorocaba. 

A Gazeta de Votorantim questionou a Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo, que respondeu que todas as circunstâncias relativas ao acidente serão apuradas pelo Grupamento do Corpo de Bombeiros de Sorocaba. “A corporação esclarece que a viatura mencionada pela reportagem estava com a manutenção regularizada e em condições de operação. Na manhã de segunda-feira (25), o veículo apresentou um problema mecânico e o condutor usou o muro como anteparo para evitar uma colisão. A autoridade policial solicitou perícia para o local dos fatos”, informa a nota.


Situação de urgência

A situação caótica da Unidade Operacional do Corpo de Bombeiros da Política Militar “Engenheiro Ronaldo Krüger Pissini”, de Votorantim, foi tema de reportagem da Gazeta de Votorantim em 19 de outubro de 2019. 

Na ocasião, foi relatada a defasagem de funcionários e problemas de estrutura enfrentados pelos bombeiros de Votorantim. Segundo apurado pela Gazeta de Votorantim, há falta de efetivo, fazendo com que haja jornadas exaustivas de trabalho para os militares que atuam no salvamento, ocorre demora para manutenção dos veículos (atualmente, a cidade não conta com o caminhão Auto Bomba Salvamento, por exemplo) e equipamentos, redução de insumos alimentícios e não há serviços de manutenção e reforma do prédio, como pintura, limpeza, corte da grama, que acabam sendo feitos pelos próprios bombeiros, entre uma ocorrência e outra.

O funcionamento adequado do serviço depende do governo estadual e também da Prefeitura de Votorantim, que precisam dar condições necessárias para que os bombeiros da cidade possam trabalhar de maneira adequada. Da parte da Secretaria da Segurança Pública do Estado de São Paulo, há o compromisso de contratar, pagar os salários e comprar veículos e equipamentos. Já da parte da administração pública votorantinense, a responsabilidade é ceder espaço físico para que os bombeiros possam desenvolver seu trabalho, fazer manutenção de veículos, dos equipamentos e da Unidade Operacional, bem como oferecer alimentação aos militares.


 

 

Reportagem publicada na página 3, da edição nº 344, da Gazeta de Votorantim, de 30 de novembro a 6 de dezembro de 2019.

 










Deixe seu comentário



Newsletter
Cadastre seu email e receba nossos informativos e promoções de nossos parceiros.