Anterior

Edis na lida (edição n°342)

11/11/2019

Anterior

Próxima

Professores podem atuar como voluntários em cursos profissionalizantes para pessoas de baixa renda

11/11/2019

Próxima
11/11/2019 - 16:15
População pode participar das reuniões do Conseg para discutir segurança pública
 Foto: Valdinei Queiroz 

Reuniões acontecem uma vez por mês na Câmara

Valdinei Queiroz


Segurança pública e população, juntas, em prol de um ambiente mais seguro. É assim que rege as ações feitas do Conselho Comunitário de Segurança (Conseg) de Votorantim, que realiza reunião toda última quinta-feira do mês, às 19h15, no plenário da Câmara Municipal de Votorantim (rua Antônio Festa, 88, região central). Todos podem participar e apresentar suas demandas aos representantes do Conseg.

A reportagem da Gazeta de Votorantim esteve na quinta-feira retrasada (31/10) para acompanhar e descrever como funciona as discussões sobre segurança pública de Votorantim. Quem costuma mediar as reuniões é a presidenta Siléa Benedetti, mas, com a ausência dela no último encontro, coube o vice-presidente Aristides Vieira fazer a função. “O Conseg funciona como um facilitador entre sociedade civil e segurança pública. A gente recebe a demanda da população e encaminha para as autoridades, quando é de responsabilidade da Polícia Militar, ou da Polícia Civil ou da Guarda Civil Municipal (GMC)”, explica Vieira.

Durante a reunião, o representante do Conseg lê a ata do encontro anterior e comenta quais foram os encaminhamentos. Na sequência, as autoridades – Polícia Militar, Polícia Civil e Guarda Civil Municipal - fazem as suas ponderações a respeito das reivindicações da população votorantinense. Por fim, é aberto espaço para que os munícipes possam fazer suas sugestões, reclamações e solicitações. Tudo é registrado em ata, para que todas as demandas sejam atendidas. “Tentamos ao máximo atender todos os pedidos. Trabalhamos para que todos os bairros tenham segurança, com o objetivo de os moradores terem tranquilidade em seu habitat”, diz o vice-presidente do Conseg.

Aristides Vieira comenta que, em algumas oportunidades, a reunião é realizada em escolas como forma de aproximar o Conseg da população votorantinense. “Às vezes, é complicado o munícipe se deslocar do seu bairro até a Câmara. Por isso a gente tem essa ideia de também organizar encontros no bairro, para que a população conheça o nosso trabalho e apresente sugestões para melhorar a nossa segurança pública”, afirma.

Das conquistas do Conseg nos últimos anos, Vieira menciona a chegada da Guarda Civil Municipal em Votorantim. “Foi uma luta nossa antiga, que teve sucesso em 2012 com a sua implementação. Começou com 30 pessoas e hoje conta com cerca de oito guardas. A expectativa que, ano que vem, aumente o efetivo. Além da GCM, nosso grupo pede avanços nas estruturas da Polícias Militar e Civil”, diz.

Dos 11 vereadores que compõem a Câmara de Votorantim, o parlamentar José Cláudio Pereira, o Zelão (PT), é o mais atuante nas reuniões do Conselho Comunitário de Segurança. Há mais de um ano, acompanha os debates e as demandas apresentadas pela sociedade civil. “É importante estar presente porque a gente ouve as reivindicações da população, as respostas da segurança pública e os encaminhamentos da direção do Conseg. E quando me solicitam, faço requerimentos e indicações questionando o prefeito para que aquela demanda seja atendida o quanto antes”, comenta Zelão.

Dos clamores da população, segurança, iluminação e serviços públicos, como limpeza e recapeamento, são os setores com mais reivindicação, segundo Zelão. “Tudo remete à segurança pública. É necessário ter iluminação adequada nos bairros, como forma de inibir a criminalidade. É preciso ter um asfalto sem buracos, para que o condutor do veículo possa passar pela rua tranquilamente. Ou seja, tudo que é debatido aqui é repassado para a Prefeitura de Votorantim, quando o assunto é de responsabilidade municipal”, explica o legislador do PT.


Participação da população

Na última reunião, cerca de 30 pessoas marcaram presença e expuseram suas demandas à direção do Conselho Comunitário de Segurança (Conseg) de Votorantim. 

Quem participou, na ocasião, foi o coordenador de segurança privada Claudionor Rangel de Souza. “Depois que o Zelão começou a comparecer nas reuniões do Conseg, as nossas necessidades foram atendidas, como, por exemplo, na elaboração do projeto de lei que determina limite em relação à poluição sonora”, conta Souza. De acordo com um estudo publicado pela Organização Mundial de Saúde (OMS), alguns dos possíveis danos causados pela exposição a ruídos são perda de audição e concentração, aumento da pressão arterial, interferência no sono, problemas gástricos, estresse e aceleração cardiovascular.

Segundo o coordenador de segurança privada, o Conseg vem para ser um meio em que a população votorantinense possa ter uma demanda atendida. “Quando você faz um ofício, sozinho, e protocola na Prefeitura de Votorantim, tem um peso. Quando você passa essa reclamação para o Conseg, o peso é bem maior. Por isso participo e dou sugestões para melhorar a segurança de Votorantim”, afirma Souza.


Autoridades

A reportagem da Gazeta de Votorantim também entrevistou autoridades tanto da Polícia Militar como da Polícia Civil de Votorantim. De acordo com o delegado José Antônio Proença, o principal argumento que passa em reuniões com a sociedade civil é da importância de ir até a delegacia e fazer o boletim de ocorrência (BO). “É com o boletim de ocorrência que os investigadores da Polícia Civil terão acesso às informações que possam esclarecer e contribuir para que seu bairro seja atendido pela nossa equipe de trabalho da melhor forma possível”, comenta Proença.

Outro aspecto mencionado por ele diz respeito a diferença entre Polícia Civil e Polícia Militar. “Algumas pessoas confundem a atuação de cada corporação da segurança pública. A Militar tem a responsabilidade de prevenir a criminalidade, como fazer ronda por bairros com índices de furto e roubo. Enquanto a Civil tem o papel de investigar o fato já ocorrido. Tendo isso em mente ajuda na solução dos casos”, diz o delegado de Votorantim.

Segundo Proença, todas as sugestões que chegam à Polícia Civil durante as reuniões do Conseg são discutidas pela equipe de trabalho. “Tentamos trabalhar para que todas as demandas sejam atendidas, pois a população tem todo o direito de ter segurança e viver com tranquilidade”.

Para o capitão Claiton dos Santos Leite, do 40º Batalhão de Votorantim, a Polícia Militar vem se empenhando para atender todas as reivindicações da população votorantinense. “O Conseg local é extremamente atuante, com uma representatividade que estreita o caminho entre segurança pública e população. É uma forma dos munícipes terem contato e conhecer a estrutura da Polícia, além de sugerir melhorias e reivindicações para que seu bairro tenha a máxima segurança possível”, comenta capitão Leite.

“É importantíssimo a presença da população de Votorantim nas reuniões do Conseg, para que a gente tenha o conhecimento das necessidades de cada morador e de cada bairro. O 40º Batalhão de Votorantim está à disposição do cidadão votorantinense”, conclui.


 

Reportagem publicada na página 5, da edição nº342 da Gazeta de Votorantim, de 09 a 14 de novembro de 2019

 










Deixe seu comentário



Newsletter
Cadastre seu email e receba nossos informativos e promoções de nossos parceiros.