Anterior

Edis na lida (edição n°341)

04/11/2019

Anterior

Próxima

Barbudo da Avenida, edição 341

04/11/2019

Próxima
04/11/2019 - 13:15
Água da Bica do Icatu já está adequada para ser consumida, informa Secretaria de Meio Ambiente
 Foto: Jorge Silva 

Valdinei Queiroz


Reprovações em testes para o consumo da água fizeram com que a Bica do Icatu, em Votorantim, fosse fechada ao público. A interdição ocorreu no mesmo momento em que uma reforma foi iniciada no local. O local passou por ampliação, mas está fechado para a população desde o dia 4 de maio. 

Segundo a justificativa apresentada pela Prefeitura de Votorantim, o fechamento se deu em decorrência de análises técnicas que apontaram níveis elevados de nitrato, em desacordo com os padrões estabelecidos para consumo humano.

Teste mais recente, no entanto, demonstrou que a qualidade da água voltou a ser satisfatória.

A reportagem da TV Votorantim e da Gazeta de Votorantim entrevistou o secretário de Meio Ambiente, Wilson Miramontes, que disse que atualmente a água da Bica do Icatu está num patamar satisfatório para a população poder ingeri-la, porém, ainda faltam algumas adequações para liberar de vez o local. “Precisamos fazer alguns testes nas bombas implantadas, que fazem o trabalho de filtrar a água, deixando o composto nitrato em um índice desejável para consumo humano”, explicou.

Segundo Miramontes, a água da Bica do Icatu estava com elevado índice de nitrato desde 2015, de acordo com análises feitas pelo Instituto Adolfo Lutz, a pedido do Centro de Controle de Zoonoses e da Secretaria Municipal de Meio Ambiente. “São laudos de 2015 para cá, apresentando uma contaminação na água, o que pode causar câncer e a doença do bebê azul. Com essas análises, a primeira ação que fiz foi a de fechar a Bica do Icatu por tempo indeterminado, pois não seria viável deixar a população bebendo essa água. Uma vez deixando o índice satisfatório, vamos liberar o quanto antes”, afirmou o secretário de Meio Ambiente, não informando data específica da reinauguração da Bica do Icatu. “Hoje, temos seis bicas no local. Vamos ver se a bomba vai aguentar. Se não aguentar, vamos fechar três”, completou.

Questionado sobre os motivos pelos quais a Prefeitura de Votorantim não tenha fechado antes o local, já que, desde 2015, havia um índice elevado de nitrato na Bica do Icatu, Miramontes respondeu que a responsabilidade antes era da Secretaria de Serviços Públicos. “Quando assumi esta responsabilidade, solicitei que houvesse uma análise criteriosa da água, que apresentou anormalidades. Por isso fechei a bica, para que ninguém a utilizasse”, disse.

Com a reforma em andamento, agora a água passa por uma das bombas e pelo filtro do nitrato e, por fim, em uma caixa d’água, que está a quatro metros do nível do solo. “São duas bombas que trabalham de forma alternada, com o objetivo de não as danificar. Neste momento, a dificuldade maior está sendo desligar uma bomba e ligar outra, para trabalhar de forma alternada”, comentou Miramontes. Segundo ele, quando for reinaugurada, a Bica do Icatu vai funcionar das 6h às 22h, porque o filtro vai precisar de fazer uma retrolavagem todos os dias a partir das 22h.

Quanto à reforma, já concluída, o espaço recebeu novas torneiras, passando de duas para seis, nova cobertura e troca de azulejos. A reforma foi executada pela empresa Mahal Serviços e Construção Civil, pelo custo de R$ 91.308,43. 

A Prefeitura de Votorantim não informou data da reinauguração.

A reportagem solicitou os laudos técnicos à Secretaria de Meio Ambiente que informou que estão disponíveis na Secretaria de Meio Ambiente para verificação pela população, porém, não autorizou que a reportagem fotografasse os laudos.

Na bica estão disponibilizados na parede dois laudos, um deles datado de 17 de outubro de 2019, no qual informa que a água está dentro dos padrões necessários para o consumo, já o outro não é possível ler o que está escrito, uma vez que a capa de plástico impede a visão e está longe do portão de acesso, atualmente fechado.

População clama pela reabertura

Localizada na esquina das ruas Humberto Della Pache e Ângelo Gugone Ramos, no Jardim Icatu, em Votorantim, o local é muito procurado não só pelos munícipes que residem perto da bica, mas também por moradores de outros pontos da cidade e de cidades vizinhas. O poço artesiano de onde sai a água faz parte de uma Área de Preservação Permanente (APP). Segundo a dona de casa Ameli de Góes Barros, 73 anos, a Bica do Icatu faz muita falta para a população votorantinense. “Quando a bica estava disponível e aberta ao público, pedia para meu filho ir até o local e buscar a água. Ele ia lá duas vezes por semana”, comenta. Ela diz que a água da bica é mais saudável comparando com a água que abastece os lares votorantinenses. “Desde o momento que ficou interditada, comecei a comprar água, já a que sai da torneira da minha casa deixa muito a desejar”, afirmou Ameli.

 

A dona de casa Leni Martos Fraioli, 77 anos, também concorda com a visão de Ameli. Segundo ela, é difícil utilizar a água da torneira, que vem com coloração amarelada. “Há 50 anos que eu e minha famílias usamos a água da bica, pois é uma água de qualidade e que faz bem para o nosso organismo. Espero que essa reforma seja concluída o quanto antes, porque está sendo complicado utilizar água da torneira da minha casa”, disse.


 

Reportagem publicada na página 3, da edição nº341 da Gazeta de Votorantim, de 02 a 08 de novembro de 2019.

 



Veja mais fotos:

  1. Ameli de Góes Barros - por Jorge Silva

  2. Ameli de Góes Barros - por Jorge Silva
  3. Bica foi reformada mas permanece fechada - por Jorge Silva

  4. Bica foi reformada mas permanece fechada - por Jorge Silva







Deixe seu comentário



Newsletter
Cadastre seu email e receba nossos informativos e promoções de nossos parceiros.