Anterior

CDHU abre credenciamento de empresas para a construção das primeiras 7,2 mil moradias do Programa Nossa Casa

04/11/2019

Anterior

Próxima

Edis na lida (edição n°341)

04/11/2019

Próxima
04/11/2019 - 12:55
Cerca-lourenço (edição n°341)

Sentelhas, com quem fica?

Daniel Sentelhas, presidente da APEVO, vem sendo cortejado por vários partidos políticos da cidade, mas ele tem demonstrado maior atenção ao pré-candidato do PT, Marcão Papeleiro, e assim como na última eleição, Daniel garante que no próximo ano vai dar o seu apoio, mas não vai sair como candidato a vereador “de jeito nenhum”.

 

Futuro do vice Lê Baeza

O vice-prefeito Lê Baeza continua inseguro com seu futuro político. Baeza se preocupa com a demora do prefeito Fernando de Oliveira Souza (DEM) em anunciar a sua pré-candidatura. O medo é de que de última hora Fernando resolva não sair a candidato a prefeito, como fez Erinaldo Alves da Silva em 2016, pegando a todos de surpresa.

Um servidor público, braço-direito do vice-prefeito Lê Baeza, diz que se até o próximo mês de dezembro Fernando Oliveira não se definir, Lê Baeza inicia 2020 definindo o seu futuro político, se sairá como vereador ou se aceitará ser vice de outro candidato, mas, para isto, é bom ressaltar que Lê Baeza terá que lembrar que, além de desistir de Fernando Oliveira de Souza, terá que desistir também do DEM, partido que ele está prestes a se filiar.


 Um vereador Zen

Quem não tem dúvida e já está em plena campanha pré-eleitoral é o Beto Zen. Figura conhecidíssima na cidade, Beto foi estimulado por várias lideranças políticas da cidade para concorrer a uma cadeira no legislativo votorantinense. A sondagem em torno de Beto já vem de outras eleições, mas segundo ele, somente agora, com menos compromissos na vida profissional, aceitou o desafio. “Quem se propõe a ser vereador tem a obrigação de ter dedicação total, pois o eleito passa a ter um patrão muito exigente, que é o povo”, disse Beto Zen a esta coluna.

 

Dois ex-prefeitos como padrinhos

As figuras políticas que convenceram Beto Zen a sair do campo da crítica e ir levar soluções à cidade foram dois nomes de destaque, Carlos Augusto Pivetta e Jair Cassola. E é justamente pelo PDT que Beto Zen estará concorrendo a eleições do próximo ano.


Em Sorocaba: união PSOL e PT

Em Sorocaba, as conversas entre PSOL e PT estão bem avançadas. Raul Marcelo, que foi para o segundo turno em 2016, volta a ser candidato a prefeito da cidade no próximo ano, e seu vice deve ser um membro do Partido dos Trabalhadores. Tudo indica que o nome escolhido será da atual vereadora Iara Bernardi.


Marcão deve anunciar um

 novo vice dentro de algumas semanas

Já em Votorantim, não se pode negar o quanto o PSOL nos últimos anos tem feito parte das discussões políticas da cidade. Rodrigo Chizolini, presidente do partido e candidato a prefeito em 2016, já é o pré-candidato a prefeito para o próximo ano. Mas diferentemente de Sorocaba, o PT votorantinense já expôs o seu pré-candidato a prefeito, Marcão Papeleiro, e o anúncio do vice de Marcão que, a princípio, era o ex-vereador e ex-secretário Joãozinho Queiroz, deve ser mudado e o novo nome será anunciado dentro de mais alguns dias. Tudo indica que vai causar surpresa, uma vez que o partido está no trabalho de convencimento a um ex-prefeito para que ocupe esta função. Se a informação se confirmar, a junção em Votorantim PT x PSOL ou PSOL x PT não seguirá o mesmo caminho de Sorocaba.


Rodrigo Chizolini, será?

Rodrigo Chizolini, como já foi dito nesta coluna, tem um potencial político construído nos últimos 8 anos, e existe um segmento que acredita em uma possibilidade do PSOL colocar energia não em uma candidatura própria a prefeito, mas sim no legislativo e, com isto, a possibilidade do PSOL em 2020 está na Câmara Municipal de Votorantim e, obviamente, o vereador seria o advogado e militante social Rodrigo Chizolini.


Fabíola, pré-candidata a prefeita

Ainda falando em eleição do próximo ano, uma das candidaturas mais promissoras é da vereadora Fabíola Alves (PSDB). Muito discreta ainda sobre o assunto, Fabíola tem como sua base principal o seu pai, Erinaldo Alves da Silva (PSDB). Fabíola vem trabalhando no fortalecimento do partido, principalmente em relação aos jovens. Pesquisas já realizadas neste ano mostram o nome de Fabíola como uma das preferências do eleitor votorantinense, mas a vereadora tem consciência de que há onze meses das eleições muita coisa pode mudar.


Um super vice, quem seria?

Fabíola disse a esta coluna que seu vice será a grande surpresa para o cenário político de nossa cidade, pois quando for anunciado vai causar muito comentário e espanto. E para os mais curiosos, Fabíola avisa que este misterioso vice será anunciado no final de janeiro ou começo de fevereiro.


Cria disputando com o criador

Não vai ser surpresa se, dentro de alguns meses, assessores de, pelo menos, dois vereadores de destaque da cidade, abandonarem seus criadores e se colocarem como candidatos a vereadores, ou seja, disputando a cadeira com seus atuais chefes. Vamos aguardar.


Levantando a bandeira da paz?

E foi da Câmara de Votorantim que veio a notícia mais surpreendente da semana. Funcionários contaram a esta coluna que viram ontem (01) a vereadora Fabíola Alves (PSDB) procurando o presidente Pastor Lilo (MDB) na sala da presidência para uma conversa.

Lembrando que ambos não se conversam desde a eleição da Mesa Diretora, no final do ano passado, quando muitas brigas e discussões ocorreram.

O que será que conversaram?

Não faltaram burburinhos nos corredores da Casa de Lei, e a pergunta principal foi: O que eles conversaram? 

Será que Fabíola, percebendo que Pastor Lilo deu uma trégua nas sessões legislativas nos últimos meses, resolveu estabelecer um pacto de paz entre ambos? Será que houve uma reconciliação? Será que essa aproximação seria já pensando nas eleições do ano que vem?

O fato é que somente eles sabem o que foi conversado.


Devo, não nego!

O vereador Gaguinho (DEM) protocolou ontem (01) na Câmara de Votorantim um documento informado que deseja restituir ao erário público o valor de R$ R$ 10.863,23 relativos a reparação dos danos causados aos cofres públicos, dos valores indevidamente recebidos pelo vereador a título de reembolso de refeições, bem como dos valores gastos com as viagens realizadas de forma indevida. Gaguinho atribui aos seus ex-assessores o uso indevido da verba, mas mesmo assim optou por ressarcir os cofres públicos.

O vereador solicitou que o valor seja dividido em 14 vezes. O departamento jurídico da Câmara irá analisar o pedido.


Vereadores repercutem

 entrevista de Fábio Abrahão

A fala dos vereadores Luciano Silva (DEM) e Bruno Martins (DEM) na última sessão legislativa votorantinense repercutindo a entrevista do empresário Fábio Abrahão à Rádio Ipanema, na qual ele desmente o depoimento atribuído a ele relacionado à Operação Casa de Papel, de Sorocaba, e revela que foi à delegacia em 18 de janeiro coagido e conduzido pelo assessor de um vereador da cidade de Sorocaba, foi muito comentada nos meios políticos sorocabanos, a ponto de vereadores de Sorocaba estarem dispostos a seguir o mesmo exemplo e falar do quanto a operação Casa de Papel agiu de forma arbitrária e com intuito político.


Coluna publicada na página 2, da edição nº341 da Gazeta de Votorantim, de 02 a 08 de novembro de 2019.










Deixe seu comentário



Newsletter
Cadastre seu email e receba nossos informativos e promoções de nossos parceiros.