Anterior

Shopping Cidade Sorocaba realiza “Grande Queima” com promoções imperdíveis

06/02/2019

Anterior

Próxima

Edição n°302 de 26 de janeiro a 01 de fevereiro de 2019

06/02/2019

Próxima
06/02/2019 - 19:28
Câmara de Votorantim: Juíza nega pedido da Chapa 2 para que Lilo não assuma presidência
 Foto: Luciana Lopez 

Sessão de eleição foi tumultuada

 

Ivana Santana

 

Os vereadores integrantes da Chapa 2, presidida pela vereadora Fabíola Alves da Silva Pedrico (PSDB) na concorrência à nova Mesa Diretora da Câmara de Votorantim, impetraram uma ação na Justiça nesta quarta-feira (06) com diversos pedidos referentes ao desenrolar da eleição para a nova Mesa, que aconteceu nesta terça-feira (05). Dentre os pedidos, está a concessão de tutela antecipada de urgência, “a fim de coibir o senhor Pastor Lilo de tomar posse como presidente da Câmara dos Vereadores de Votorantim”.

“Nós apresentamos um recurso em relação à declaração que foi dada publicamente, de que o vereador Alison Andrei Pereira de Camargo, o Pastor Lilo (MDB), teria sido vencedor da eleição, porque a Mesa Diretora [em decisão colegiada] não entendeu dessa forma. Por isso, entramos com pedido de liminar e solicitamos a interferência do poder Judiciário nesse caso. Nós pedimos que fosse afastado da posse o vereador Lilo e que fosse reconhecido o poder da Mesa; que fosse determinado que o Bruno reconhecesse o poder da Mesa e a validade da eleição da forma que foi considerada correta pela Mesa, desconsiderando a presença do vereador José Antonio de Oliveira, o Gaguinho (DEM)”, explica o advogado da Chapa 2, Gabriel Rangel Gil Miguel.

Em sua resposta, dada no final da tarde desta quarta-feira (06), a juíza Luciana Carone Nucci Eugênio Mahuad, de Votorantim, indeferiu os pedidos da Chapa 2, e ressaltou que “o Judiciário não deve decidir acerca da interpretação e da aplicação do Regimento Interno”.

Para o advogado da Chapa 2, o Judiciário deve, sim, intervir nessa situação. “Nós procuramos o auxílio do Judiciário para que ele combata essa ilegalidade. Mas aí, quando chegam essas questões na juíza, ela diz que é uma questão interna. Mas se a própria Câmara não consegue resolver suas questões internas, e se há uma discussão dentro das questões externas, como a Câmara vai resolver isso?”, questiona Gabriel, que ainda cita que há um recurso pendente em segunda instância, referente à permanência do vereador Antônio Pereira, o Pastor Tonhão (sem partido) no cargo.

A presidente da Chapa 2, vereadora Fabíola, disse que é possível que sua chapa recorra novamente da decisão. “Provavelmente nós vamos recorrer de novo. Mas nós ainda vamos nos reunir para tomar essa decisão, porque como a gente não faz nada sozinho, a gente sempre procura ouvir os outros membros da nossa Chapa”, afirma Fabíola.

O Pastor Lilo se diz tranquilo em face dessa situação. “Nós estamos muito tranquilos diante de tudo que aconteceu. A gente lamenta essa não aceitação de uma derrota. Não só eles já perceberam, mas toda a sociedade também já tomou ciência disso. O Poder Judiciário também já tem ciência de tudo que está ocorrendo”, finalizou.

 

Leia também: Em votação tumultuada, Pastor Lilo é eleito presidente da Câmara de Votorantim 










Deixe seu comentário



Newsletter
Cadastre seu email e receba nossos informativos e promoções de nossos parceiros.