Anterior

FGTS poderá ser utilizado para comprar aparelho auditivo

10/06/2018

Anterior

Próxima

Qualidade da gasolina: De cinco postos pesquisados, um se recusou a fazer o teste em Votorantim

11/06/2018

Próxima
10/06/2018 - 15:36
Shopping recebe a primeira edição da Feira Volta ao Mundo

O evento traz à Praça de Eventos do shopping milhares de peças de decoração, utilitários, acessórios, vestuário e mobiliários de 11 países
 Foto: Divulgação 

Tunísia

Até 30 de junho, no Iguatemi Esplanada, representantes da Itália, Tunísia, Egito, Peru, Índia, Turquia, Indonésia, Paquistão, Tailândia, Bolívia e Brasil estarão expondo milhares de modelos diferentes de produtos exclusivos e tradicionais de seus países. São peças originais que estarão à venda na Feira Volta ao Mundo, considerada a mais qualificada feira do setor de artesanatos internacionais realizada nos melhores shoppings centers do Brasil.

O ponto forte da Feira Volta ao Mundo é a seleção dos expositores e produtos, que são em sua totalidade trazidos por comunidades de artesãos ou representantes nativos de seus países de origem. O evento já passou por capitais como São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre, Florianópolis, Belo Horizonte, Cuiabá, Belém, Natal e Recife.

Além da qualidade, a diversidade dos produtos também chama a atenção e as peças são produzidas com as mais variadas matérias-primas como madeira, cerâmica, tecido e metal e que podem ser utilizadas na decoração, vestuário, mobiliário e utilitários, entre outros. Confira um pouco do que cada país irá apresentar.

TUNÍSIA

Da Tunísia, o expositor Audi traz as essências de perfumes, todas naturais e sem álcool. São fragrâncias que podem ser adquiridas em frascos artesanais personalizados, coloridos, com formas exclusivas e que dão um destaque a mais ao produto. Entre elas, o 1001 Noites, cuja base é composta com o aroma de 12 flores e que é usado na Tunísia pelas mulheres na noite de núpcias.

Além das essências, segundo Audi, a cidade tunisiana de Nabeul é famosa pela produção artesanal de cerâmica, sendo o principal produtor nacional. Algumas oficinas do centro da cidade permitem a quem passa apreciar o processo de fabricação das peças. Por isso, na feira estarão expostas tanto as peças decorativas quanto utilidades domésticas, como derbakes, que são instrumentos musicais de percussão feitos seguindo a tradição de usar cerâmica com couro de camelo natural.

ITÁLIA 

Na área da Itália encontram-se os cristais de Murano, que são criados e tratados de forma muito especial em vidro de sílica no arquipélago de Murano, localizado a um quilômetro de Veneza. Os objetos de vidro produzidos em Murano são conhecidos por sua qualidade e beleza, pelo brilho intenso, pela leveza do material e pela criativa mistura de formas, texturas e cores.

PAQUISTÃO 

Mojari ou Khussa é um calçado artesanal tradicionalmente produzido no Paquistão cuja parte superior é feita de um pedaço de couro ou tecido bordado. Para o Brasil o Mojari, produzido em Karachi, ganhou uma versão mais leve e tropical, apresentando-se na forma de sapatilhas, sandálias e rasteirinhas bordadas com muitas pedrarias e lantejoulas.

TURQUIA

Direto da Turquia para o evento, o expositor Tahsin Cansiz traz mais de 50 modelos diferentes de pratos, travessas e tigelas feitos em vidro, cujas bases jateadas nas cores dourada, prata ou preta, servem de realce para o trabalho de pintura manual feita no interior da peça com cores e desenhos variados.

Outro artesanato tradicional da Turquia trazido por Tahsin, que tem dezenas de modelos diferentes são os jogos de cama, toalhas e trilhos de mesa ricamente bordados à mão com pedrarias e fitas nos estilos de Bursa e da Capadócia.

Outro expositor turco, Ibrahim Zamur, que pertence a uma família de artesãos de Istambul que produz lustres e luminárias há gerações, traz muitas peças para o evento. Produzidas manualmente, as luminárias e lustres são feitos usando uma base em latão ou bronze e cúpulas que formam mosaicos de vidros coloridos, aplicados na resina com silicone, o que proporciona um efeito visual muito especial no ambiente. O valor da peça varia de acordo com a quantidade de cúpulas que possui, sendo que quanto mais cúpulas tiver, mais caro o artesanato ficará. Cada peça é única e exclusiva.

Das cidades de Kutahya e Iznik, Ibrahim traz para a feira os pratos, travessas e tigelas de porcelana totalmente produzidos de forma artesanal. Hoje, Kutahya é quem produz quase a totalidade das cerâmicas para exportação do país, tanto produzindo no estilo Iznik, em azul e branco, quanto no estilo Kutahya, com muito colorido e relevo, mantendo o processo artesanal e inserindo, em alguns casos, processos serigráficos e outros para acelerar a produção.

Já o «Nazar Boncuk» ou «Olho Turco» foi criado na Turquia e depois disseminado para outros países, entre eles a Grécia, onde ficou conhecido como «Olho Grego». É um amuleto que protege contra mal olhado e olho gordo. Na Feira Volta ao Mundo, Ibrahim comercializa o olho turco e inúmeros produtos, de mandalas a chaveiros, para garantir àqueles que acreditam muita proteção diária na casa, no carro e para a pessoa.

PERU

A artesã peruana Yenny Equinigo Martinez traz da região de Cusco e Machu Picchu as blusas, mantas, cachecóis e gorros feitos de lã de alpaca, um animal típico das montanhas andinas, cuja fibra natural é mais suave, durável e quente que a das ovelhas, não espinha e é hipoalérgica. Ela também traz peças feitas com a verdadeira e original baby-alpaca, que é uma lã de alpaca especial, com uma suavidade ainda maior.

Outros artesanatos típicos dos Andes são as miniaturas em cerâmica, os jogos de xadrez, cujas peças representam a guerra entre espanhóis e incas, as tradicionais bonecas peruanas feitas com tecido e lã e os espelhos em forma de sol, além de outros belos objetos.

ÍNDIA 

Hussain Baba, expositor e artesão indiano, traz de seu país inúmeros artesanatos tradicionais. São famosas as pashminas ou xales feitos com seda e lã em Kashmir. O nome Kashmir ou cachemere é sinônimo de material têxtil de alta qualidade devido a lã produzida a partir das cabras nativas da região de Kashmir, no norte da Índia. A fibra extraída do pêlo dos animais é fiada e depois bordada à mão há milhares de anos.

Também de Kashmir vêm as bolsas, capas de almofadas e tapetes. Os materiais e técnicas variam de acordo com o produto, com destaque para a lã, o couro e o bordado Ari, uma técnica extremamente aperfeiçoada na região que consiste num bordado feito sobre uma base de algodão branco ou marfim usando o estilo de ponto em cadeia. Em muitos trabalhos o bordado esconde totalmente o tecido de fundo. Os tapetes de Kashmir são conhecidos como «Chain Stitch Rugs», sendo famosos pela beleza e durabilidade.

Saharanpur, no estado indiano de Uttar Pradesh, é um dos mais famosos centros de produção moveleira artesanal no mundo. Dali saem os mais variados móveis esculpidos em madeira de rosewood. São mesas de centro e de canto, cantoneiras, biombos, bancos, cadeiras e outras peças, todas ricamente entalhadas e com detalhes em cobre.

Já o Rajastão é o maior estado da Índia. Sua capital é Jaipur e boa parte do seu território é coberta por terras desérticas. Se existe um local na Índia onde o luxo e a riqueza que marcaram a época dos marajás são visíveis, esse lugar é o Rajastão. Em Jaipur são produzidos alguns artesanatos admirados pela alta qualidade, como os trilhos e as toalhas de mesa feitas sobre uma base de tule colorido e bordados à mão com pedrarias e missangas ou com desenhos coloridos. Outra tradição vinda do Rajastão são as colchas em patchwork. Há uma grande variedade de bordados e cada uma, que é tecida por um único artesão em uma base espessa que a torna muito durável, leva de 10 a 15 dias para ser produzida. Também é grande a variedade de cores e estilos, criando intrincados padrões e desenhos. Depois de prontas, algumas são bordadas com lantejoulas, pérolas ou contas coloridas.

INDONÉSIA

Da Indonésia, o expositor e artesão indonesiano Irul Komaro traz belos objetos de decoração do seu país, como as máscaras e as figuras de animais como lagartos e tartarugas para pendurar nas paredes que são feitos em madeira e depois pintados com batik, que é uma técnica milenar de tingimento artesanal originária da Ilha de Java. A técnica é aplicada sobre tecidos, em especial a seda, e sobre a madeira Dalbergia, popular na região.

Já as peças em madeira feitas nas ilhas de Bali e Java são cheias de significados e muito representativas do país. Tradicionalmente animais como gatos, corujas e dragões, além de pescadores, são esculpidos em madeira Teca. Também da Indonésia vêm os maravilhosos acessórios femininos feitos com madeira, madrepérola, missangas, pérolas de água doce e pérolas negra, corais, etc..

EGITO

Do Egito o expositor Ahmed Ramadan traz as peças feitas em madeira de oliveira com detalhes em madrepérola. São mesinhas de canto e mesas de gamão e xadrez, além de bandejas e caixas decorativas que fazem o maior sucesso.  Também é possível conferir os vestidos feitos com algodão egípcio, além de diversos souvenires típicos do país, como estatuetas e pratos decorativos. Os legítimos papiros são uma atração à parte na feira, sendo um dos artesanatos mais antigos do mundo e cuja confecção ainda utiliza a mesma técnica do tempo dos faraós.

BOLÍVIA

O expositor e artesão Nelson Mena Castellon traz da Bolívia os anéis, brincos, colares, pulseiras, braceletes e pingentes produzidos pelos artesãos da região de Cochabamba. Com design exclusivo, os acessórios femininos são feitos utilizando metais leves e muitas pedras e miçangas coloridas, cujo trançado ganha um bonito efeito especial e sempre remete às formas geométricas e cores características da região andina.

TAILÂNDIA 

No evento estarão expostas as cerâmicas tailandesas. Atualmente, muitas pequenas indústrias tailandesas fazem cerâmicas em estilo chinês, sendo uma das mais populares a «azul e branca», inspirada na porcelana chinesa «Ming». Além da cerâmica azul e branca, a Tailândia também produz porcelanas nos estilos Celadon e Benjarong, ambas igualmente inspiradas na cultura chinesa.

BRASIL – RS

A designer e artesã Luciane Casagrande participa da feira representando o estado do Rio Grande do Sul. Ela cria bolsas e acessórios feitos com sobras de couro e pelica de cabra das indústrias coureira e calçadista. Na produção ela conta com um grupo de 20 senhoras da terceira idade que trabalha em sistema de cooperativa, fazendo as peças em crochê, tricô, tecelagem e tear a partir de fios de couro de pelica. Todo o processo de fabricação, do corte e tintura dos fios ao acabamento das peças é totalmente artesanal e sustentável.

BRASIL – PR

Em Cascavel, no interior do Paraná, a artesã Maira especializou-se na confecção de caixas de madeira decoradas para as mais diferentes utilidades, como caixas de costura, maquiagem, porta-joias entre outras, fundando a Casa do Baú, empresa que hoje oferece emprego e sustento a vários moradores locais. Hoje ela importa papéis especiais da França para a confecção de seu produto.

BRASIL – MG 

Minas Gerais é a terra de famosos doces produzidos de forma artesanal, como os doces de leite e os cristalizados, que são indispensáveis numa boa mesa mineira. Os doces cristalizados têm origem numa tradição secular da Ilha da Madeira, onde os portugueses aprimoraram suas técnicas açucareiras e o comércio desses quitutes, que trouxeram para o Brasil logo após o descobrimento.

 

A Feira Volta ao Mundo fica até o dia 30 de junho na Praça de Eventos da Ala sul do Iguatemi Esplanada, atendendo ao público de segunda a sábado, das 10h às 22h e aos domingos, das 12h às 20h. A entrada é gratuita.

Sobre o Shopping Iguatemi Esplanada

Fruto da união da história que o shopping Esplanada construiu na região com a expertise e qualidade da marca Iguatemi, o Iguatemi Esplanada é um dos maiores complexos de uso misto do interior de São Paulo, unindo o shopping e uma torre comercial. O shopping tem mix completo e adequado ao público da região. No total são 390 lojas, 40 operações de alimentação, sendo oito restaurantes, sete salas de cinema, além de um estacionamento com 4.200 vagas, sendo 2.000 delas cobertas. Mais do que isso, o Iguatemi Esplanada oferece serviços exclusivos e tem como missão proporcionar experiências únicas a seus clientes.

 

Serviço

Exposição Volta ao Mundo

Data: de 07 a 30 de junho de 2018

Local: Praça de Eventos – Ala Sul – Piso Votorantim do Iguatemi Esplanada

Horários: Segunda a sábado, das 10h às 22h | Domingos e feriados, das 12h às 20h

Informações: (41) 99208-6974

ENTRADA GRATUITA




Fonte: Vergili Comunicação integrada










Deixe seu comentário



Newsletter
Cadastre seu email e receba nossos informativos e promoções de nossos parceiros.