Anterior

Resumo da semana (05 a 11 de agosto de 2017)

08/08/2017

Anterior

Próxima

Pitacos da Marisa, Edição 230

08/08/2017

Próxima
08/08/2017 - 13:02
Bondinho histórico não está mais em Votorantim

Veículo foi levado para Sorocaba e vereador Heber Martins pretende acionar o Ministério Público
 Foto: Divulgação / Guincho Pelezinho 

Trolley estava parado na Vila Dominguinho

Vanessa Corrêa
(programa de estágio)


Um bondinho (trolley) do Grupo Votorantim que estava em uma gaiola em trecho ferroviário entre os bairros da Chave e a Vila Dominguinho, em Votorantim, há cerca de 10 anos, foi transportado para a Estação Paula Souza, localizada no munícipio de Sorocaba, na noite da última quarta-feira (02), com um caminhão guincho. Para a sua retirada da gaiola, o cadeado precisou ser rompido.

O transporte foi realizado pelo Movimento de Preservação Ferroviária Sorocabana (MPF), que informou que recebeu uma concessão do Grupo Votorantim para restaurar o patrimônio, porém, o Grupo Votorantim não confirma essa informação. De acordo com o grupo empresarial, que inclui a Votorantim Cimentos, ‘a movimentação do trolley foi realizada a pedido da Associação para que o mesmo fosse levado à estação Paula Souza, onde seria melhor acomodado”.

Segundo o presidente da associação, Paulo Sérgio Vieira Filho, o pedido para restauração que foi feito ao Grupo Votorantim no final do último mês já havia sido negado, porém nesta semana foi autorizado o transporte até o pátio da estação para a restauração. Coincidentemente, a Gazeta de Votorantim deu início a reportagem sobre o bondinho na sexta-feira da semana anterior (28), e já na segunda-feira (31), o Grupo Votorantim havia sido questionando sobre a destinação do veículo.

A entidade que pretende restaurá-lo é uma Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP) e tem como objetivo restaurar e preservar carros de passageiros, locomotivas e vagões que contribuíram e fazem parte da evolução histórica e tecnológica da Estrada de Ferro Elétrica Votorantim (EFEV) e a Estrada de Ferro Sorocabana (EFS). “Nós estamos trabalhando há algum tempo para receber esses ofícios com as autorizações para a retirada do bondinho e das locomotivas e agora finalmente vamos conseguir restaurá-los”, disse o presidente, contando que as locomotivas que estão na fábrica da Votorantim Cimentos, unidade Santa Helena, também foram liberadas, segundo ele, para restauração.

Ainda segundo o presidente, a autorização para a restauração foi feita pelo Grupo Votorantim, na tarde da última quarta-feira (02). “Assim que recebemos o ofício decidimos fazer a retirada do bondinho do local, pois, ele já foi muito depredado, peças já foram furtadas e não podíamos deixar que ele fosse ainda mais destruído”, relatou. Já as locomotivas ainda permanecem no pátio da fábrica, também em Votorantim, e segundo Paulo, são mais trabalhosas para ser transportadas devido ao peso.

Segundo mecânicos que trabalhavam na limpeza no bondinho na tarde da última quinta-feira (03), a última vez que o equipamento funcionou foi há mais de dez anos. Movido à gasolina, o veículo foi fabricado no ano de 1929, nos Estados Unidos e provavelmente era utilizado para locomoção de diretores da fábrica de cimentos. A restauração deve durar cerca de três meses e inicialmente será recuperada a parte mecânica e depois estética do trem que tem estrutura de madeira e estaria com cupim.

O presidente do movimento de preservação disse ainda, que foi cedida à associação a “guarda” do bondinho e das locomotivas, e, que após esse processo será “avaliada” a destinação do trolley. “Nosso trabalho é a restauração e os cuidados com esses veículos, para que a história não se perca”. A ideia, segundo ele, é a colaboração para o fortalecimento do turismo de Sorocaba e Votorantim, caso o bondinho e outros trens voltem a percorrer as linhas férreas de ambas as cidades.

Os recursos financeiros para restauração, segundo Paulo, advêm de programas de incentivos governamentais e Lei Rouanet, no entanto, não especificou quais são esses programas, nem o valor que será investido, tampouco se verba já foi disponibilizada de antemão.
 
Patrimônio de Votorantim
No entanto, a associação não era a única interessada no trem, a doação do bondinho à Prefeitura Municipal de Votorantim foi por muitas vezes questionada, principalmente por meio da Câmara Municipal.

Segundo o vereador Heber Martins (PDT), o governo do ex-prefeito Erinaldo Alves da Silva chegou a receber autorização da doação do trem à cidade, mas desde então o mesmo permaneceu parado. O representante do legislativo, falou em inúmeras sessões da Câmara a respeito do abandono e chegou a apresentar indicações e requerimentos pedindo para que o bondinho fosse doado ao município.

Em entrevista à Gazeta de Votorantim, na última segunda-feira (31), quando o bondinho ainda estava na cidade, comentou que lamentava o abandono em que se encontrava o veículo e que a proposta do parlamentar era que o Grupo Votorantim fizesse a restauração e o doasse ao município para que o mesmo fosse exposto em local público e que a população tivesse acesso ao patrimônio histórico.

Em resposta ao requerimento apresentado por Heber, no último dia 06 de junho, a Prefeitura Municipal informou que iria entrar em contato com os responsáveis para a tratativa de doação do bondinho a cidade junto à empresa.

Porém, ao saber que o bondinho foi retirado “à revelia” da cidade, o vereador afirmou que recorrerá ao Ministério Público para investigar a permissão dada ao Movimento de Preservação Ferroviária de Sorocaba, já que segundo ele, Votorantim estaria perdendo um patrimônio que faz parte da história da cidade.

Reunido com representantes da associação na tarde desta sexta-feira (04), o vereador manteve seu posicionamento crítico a respeito do transporte do bondinho para a cidade de Sorocaba e afirmou que se a Prefeitura Municipal de Votorantim não tomar providências e participar do processo de requerer o bondinho como patrimônio histórico da cidade, o político irá recorrer à Justiça. “Vou solicitar os documentos que a associação recebeu, apesar de importante o trabalho de restauração não podemos permitir que o bondinho fique em Sorocaba”, afirmou defendendo a ideia de que o trem deveria ser recuperado e mantido em Votorantim.

Também participaram da reunião, o presidente e o vice-presidente da associação, Paulo César e Eric Mantuan; o vereador do legislativo votorantinense, Alfredo Pissinato (PPS) e o vereador de Sorocaba, Luiz Santos (PROS). Os políticos votorantinenses fizeram questionamentos a respeito do transporte e da autorização do Grupo Votorantim para a restauração.

O vereador Pissinato mostrou-se favorável a restauração, mas defendeu que o bondinho retorne a cidade. “Acredito que esta é a oportunidade de Votorantim se preparar turisticamente para receber o bondinho, recorrer a incentivos e investimentos de turismo para não perder mais esse patrimônio”, disse o vereador relembrando locomotivas da cidade que foram “perdidas” para a cidade de Avaré e Santos.
 
Interesse turístico
O prefeito de Votorantim, Fernando de Oliveira Souza, disse em entrevista à Gazeta antes da retirada do trolley da cidade, que o pedido havia sido feito a empresa Votorantim e que estava em processo de análise.

Explicou ainda, que a restauração do bondinho era de interesse do município e que o objetivo era que o mesmo voltasse a funcionar como parte do projeto de Municípios de Interesse Turístico (MIT), que deve ser encaminhado à Assembleia Legislativa de São Paulo. “Tornar Votorantim um polo turístico sempre foi meu sonho desde quando era vereador, e, através do nosso projeto que será encaminhado a Assembleia nos próximos dias poderá estar mais perto de iniciarmos essa conquista”, disse.

Ainda sobre o bondinho, o prefeito relatou que estaria disposto a estabelecer parcerias para a restauração após a possível doação do trem, já que segundo ele, a manutenção por meio de recursos financeiros da Prefeitura seria inviável.

Após a retirada do bondinho da cidade, a Prefeitura foi novamente questionada sobre quais atitudes tomará, e em resposta, disse ontem (04) que não tinha conhecimento de que o bondinho havia sido levado para Sorocaba e não sabe qual será a destinação do veículo. Por não ser de propriedade da Prefeitura, aguardará um posicionamento da empresa.

Já o Grupo Votorantim, informou à nossa reportagem, ontem (04), que “em relação ao bondinho que já foi utilizado por funcionários do Grupo Votorantim e que estava estacionado na região da Vila Dominguinho, na cidade de Votorantim, a Votorantim Cimentos confirma ter recebido pedidos de doação do veículo por parte das Prefeituras de Sorocaba e de Votorantim e da Associação Movimento de Preservação Rodoviária.

Diante desse cenário, seguindo a política de doações da empresa, a Votorantim Cimentos solicitou aos interessados a formalização dos pedidos, juntamente com um projeto que contemplasse a destinação e utilização do veículo. A Votorantim Cimentos esclarece ainda que uma primeira reunião para discutir o assunto com as três entidades foi agendada para 8 de agosto de 2017”, finalizou a nota. (Supervisão: Luciana Lopez)

 

Reportagem publicada na página 05 da edição 230 da Gazeta de Votorantim de 05 a 11 de agosto de 2017



Veja mais fotos:

  1. Locomotivas que estão no bairro Santa Helena, também serão levadas para Sorocaba (Foto: Jorge Silva)

  2. Locomotivas que estão no bairro Santa Helena, também serão levadas para Sorocaba (Foto: Jorge Silva)
  3. Vereador Heber Martins, quando o trolley ainda estava em Votorantim (Foto: Jorge Silva)

  4. Vereador Heber Martins, quando o trolley ainda estava em Votorantim (Foto: Jorge Silva)
  5. Paulo Sérgio Vieira Filho (Foto: Jorge Silva)

  6. Paulo Sérgio Vieira Filho (Foto: Jorge Silva)
  7. Veículo está na Estação Paula Souza (Foto: Vanessa Corrêa)

  8. Veículo está na Estação Paula Souza (Foto: Vanessa Corrêa)
  9. Gaiola que abrigava o trolley na Vila Dominguinho (Foto: Jorge Silva)

  10. Gaiola que abrigava o trolley na Vila Dominguinho (Foto: Jorge Silva)







Deixe seu comentário



Newsletter
Cadastre seu email e receba nossos informativos e promoções de nossos parceiros.